O emprego de Circuito Fechado de Televisão para monitoramento de logradouros públicos, com a instalação de câmeras de vídeo nos principais pontos de concentração comercial e bancária e de fluxo de pessoas e veículos, objetiva uma melhor efetividade do policiamento preventivo visando inibir, flagrar ou identificar atos delituosos praticados por pessoas e condutores de veículos, com a possibilidade de repassar orientações "on-line" às guarnições de polícia com base nas imagens ao vivo ou a recuperação das imagens gravadas para investigação, além de uma melhor otimização dos recursos humanos e materiais com o emprego de um número menor de policiais e a criação de um sentimento de segurança, garantindo ao cidadão de que tudo o que estiver ocorrendo na área de cobertura de uma câmera estará sendo monitorado e gravado.

Os Sistemas de Segurança por Circuito Fechado de Televisão Digital foram disseminados pelo mercado através de diversos fabricantes, cada qual com suas características. São sistemas que multiplexam, gravam e muitas vezes transmitem as imagens das câmeras de forma totalmente digital seja em discos ou fitas magnéticas (disquetes 3.1/2", zip-disks, fitas DAT, etc.), discos ópticos (CDR´s, CDR-W, DVD´s, etc.) ou diretamente em discos rígidos (hard-disks). A busca e reprodução de imagens armazenadas pode ser indexada por data, hora, câmera, eventos ou outros parâmetros definidos pelo usuário e o acesso a estas imagens seja ao vivo ou armazenadas podem ser efetuados no local onde o sistema esteja instalado ou remotamente, em qualquer parte do mundo, por meio da internet.

Existem no mercado desde sistemas domésticos compostos de placas de captura de vídeo com quatro ou mais canais, que são instaladas em microcomputadores com certo grau de robustez (entenda-se robustez como qualidade de hardware e confiabilidade de software), até unidades "stand-alone" (que está sozinho ou que faz tudo sozinho) com hardware devidamente dimensionado e sistemas operacionais/aplicativos confiáveis.

Onde instalar e Pontos estratégicos

O poder local pode e deve se instrumentalizar para alcançar ações mais profícuas, associadas a segurança e ao desenvolvimento urbano e social no âmbito da comunidade através de um processo de fortalecimento dos mecanismos de informação. Essa informação deve envolver as diversas áreas da administração local, a população e gestores, e ter como função fundamental instrumentalizar o planejamento local e a consolidação da cidadania. Neste cenário O Monitoramento através de câmeras posicionadas em pontos estratégicos tem se mostrado de extremamente eficiente, permitindo uma pronta resposta as necessidades da comunidade, quer seja na área de segurança, quer na forma de intervenção no fluxo de transito, ou na fiscalização do comercio, bem como no uso do solo.

  • Em áreas Urbanas para controle de trafego e controle de placas,
  • Parques de diversões e de lazer para controle de segurança e geral
  • Secretarias de obras, Posto de saúde, hospitais, escolas e centrais de atendimento ao publico.
  • Comemorações, pontos de acesso, e muito mais.
  • Prefeituras, bancos, etc.
  • Bairros, ruas estratégicas, centros de convenções, estádios, etc.
  • Segurança publica, transito, transportes urbanos, fiscalização, saúde, defesa civil, e demais órgãos que de alguma forma estejam ligados ao planejamento e elaboração de políticas publica de médio e longo prazo.

O sistema utilizado para monitoramento de prédios e locais públicos, CFTV Circuito Fechado de Televisão, tem como premissas básicas inibir ou até mesmo identificar atos de vandalismos contra o Patrimônio Público e Privado, e atos delituosos contra cidadãos.

Segurança

As câmeras possuem um sistema de alarme acoplado que, a qualquer invasão do local monitorado, emite um sinal de alerta no Centro de Monitoramento, mostrando o local exato da ocorrência. Estando integradas, as Polícias Civil e Militar recebem as imagens em tempo real, o que facilita ações imediatas de prevenção e combate ao crime. As imagens captadas são gravadas e disponibilizadas aos órgãos de segurança por tempo determinado pelo município. A instalação das câmeras em locais de grande fluxo de pessoas e veículos, bem como nos principais pontos de concentração comercial e bancária já inibe atitudes ilegais. Além do caráter preventivo, permite flagrar ou identificar delitos.
Registros comprovam uma diminuição de 50% em ocorrências policiais em municípios que utilizam o Sistema.

Trânsito

As ocorrências no trânsito serão rapidamente detectadas, permitindo o acionamento de viaturas e o controle de semáforos, criando vias alternativas ao tráfego. Além disso, é possível identificar o proprietário do veículo através de softwares inteligentes, que reconhecem as placas e consultam imediatamente o banco de dados, fornecendo nome, endereço, etc.

Sistema Integrado

A fim de otimizar os recursos existentes, e desta forma maximizar os resultados decorrentes da implantação de um Sistema de Monitoramento Integrado, faz-se necessário a participação do maior numero de órgãos envolvidos nos processo de atendimento a comunidade e prestadores de serviços públicos tais como: segurança publica, transito, transportes urbanos, fiscalização, saúde, defesa civil, e demais órgãos que de alguma forma estejam ligados ao planejamento e elaboração de políticas publica de médio e longo prazo. O interesse pelo tema qualidade de vida tem aumentado no mundo desde o final da década de setenta e, com maior ênfase no Brasil, no final da década de 80. O tema Qualidade de Vida vem colocando em evidência a dimensão humana na sociedade, dentro de uma perspectiva construtiva social e humanizadora.

Desta forma, passa a ser prioridade repensar a relação da tecnologia com o indivíduo e com a sociedade, identificando com maior profundidade e especificidade os aspectos Tecnológicos que afetam a Qualidade de Vida das comunidades, particularmente na área de segurança, fiscalização e ocupação do espaço urbano. Esse entendimento fundamenta o conceito de qualidade de vida, sendo esta noção precedente às variações conceituais do estado das vidas e do espaço do ambiente urbano. Em decorrência dos crescentes índices de violência, a questão da segurança passou a ter uma importância extrema nas políticas de planejamento urbano, neste aspecto os avanços tecnológicos tem contribuído, com importantes ferramentas e sistemas permitindo objetivamente transformar tecnologia em qualidade de vida.

O projeto Qualidade de Vida em Curitiba teve início, em 1996, no Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba - IPPUC e foi idealizado a partir de discussões sobre a inserção da cidade na Rede Mundial de Municípios Saudáveis, cujo método já havia sido testado na instituição. A necessidade surgiu do cenário em que uma única instância pudesse não só concentrar informações dos vários órgãos da municipalidade, mas ampliasse esse banco de dados a uma análise mais crítica.

Recursos:

  1. Níveis de acessos restritos com hierarquia configurável.
  2. Acesso de qualquer computador ou local.
  3. Possibilidade de integração com alarmes e controles remotos.
  4. Ajuste individual de configuração de câmeras.
  5. Possibilidade de disponibilização em site da cidade.
  6. Detector de movimentos para gravação, indicado para depósitos ou noite.
  7. Possibilidade de múltiplos locais de gravação.
  8. Ajustes independentes da qualidade e taxa de frames (fotos / segundo).
  9. Gravação 24 horas.
  10. Possibilidade de envio automático de e-mail ou mensagem de alarme.
  11. Aceita câmeras com gravação de áudio.
  12. Conexão com rede e internet.
  13. Gravação local reciclável sem precisar trocar fita de vídeo.
  14. Gravação local e remota simultânea com HD removível de 1 (um) Terabytes (=1000 mega Byte) ou contratação de Data Center remoto..
  15. Reconhecimento automático de placas.
  16. Gravação local e remota.
  17. Integração com mapa da cidade em fundo.
  18. Muito mais recursos.
  19. Verba Federal, como conseguir

O governo federal tem um plano de incentivo à segurança publica. Esta licitação é regulada pelos seguintes dispositivos legais:

  1. Constituição da República Federativa do Brasil;
  2. Lei Orgânica do Município;
  3. Lei Federal nº. 8666, de 21/06/93 e suas alterações;
  4. Lei Federal nº. 9.012, de 30/03/95;
  5. Lei Federal nº. 9.069, de 29/06/95;
  6. Lei Complementar Federal nº 123/06
  7. Demais disposições legais aplicáveis, inclusive subsidiariamente, os princípios gerais de Direito.

Esboço Geral e Tecnologia utilizada.

Sistemas Digitais em Rede - MONITORAMENTO CIDADE SOB CONTROLE 

A mais nova tecnologia aplicada em Sistemas de Segurança por Circuito Fechado de Televisão Digital. Ainda não desenvolvida pela maioria dos fabricantes, principalmente no quesito gerenciamento e gravação. Estes sistemas utilizam-se da plataforma de cabeamento estruturado existente, ou a implantar, para trafegar vídeo e dados. Ou seja, basta possuir um ponto de rede para cada local aonde as câmeras serão instaladas e outro ponto no local aonde as imagens serão gravadas e/ou monitoradas e o sistema já possui condições de ser implantado.

Neste caso as novas câmeras e equipamentos de gerenciamento valem-se da tecnologia de cabeamento estruturado eliminando-se a necessidade de implantar uma nova estrutura física, caso a mesma já exista. Com isso consequentemente reduzem-se os custos do sistema. As características de gerenciamento e armazenamento praticamente permanecem inalteradas com a multiplicação e gravação das imagens sendo realizada em discos rígidos ou outros dispositivos de mídia.

Uma vantagem importante desta nova tecnologia em relação às demais consiste na capacidade de canais disponíveis, que neste caso é de sessenta e quatro câmeras para cada servidor enquanto que nos demais, para cada quatro, oito ou dezesseis câmeras é necessário um equipamento.

 

 

 

 

Tele Atendimento

 

 

 

(11) 


( 21)

 

 

 4156-6090 Pabx


  98250-6019 Whatsapp e Vendas