Os edifícios se diferenciam entre: tamanho, aplicação, necessidades de conforto, padrões de qualidade, produção e climatização de ambientes. Ao mesmo tempo, os custos de energia e manutenção devem manter-se sempre reduzidos a níveis aceitáveis. Utiliza-se muito o termo "edifício inteligente". Mas o que vem a ser isso? E o que a automação predial tem a ver com o assim chamado edifício inteligente?  Baixe nosso catalogo de automacao predial 2012

Chama-se geralmente um edifício de "inteligente" quando é dotado de um conjunto de recursos para aperfeiçoar funcionalidade, conforto, manutenção, flexibilidade de uso, segurança e energia. A moderna tecnologia da informação desempenha papel fundamental na inteligência do edifício. Os edifícios modernos, ditos inteligentes, são dotados de um conjunto integrado de ferramentas – equipamentos computacionais, softwares, controladoras e instrumentos – Que formam os sistemas de automação predial. Automação predial é inteligência distribuída, é economia de energia, é eficiência operacional, é redução de custos. Mas para que isso ocorra, deve-se contratar a empresa correta: que saiba instalar o sistema, que saiba utilizar os equipamentos adequados, que saiba fazer a correta interface com os demais sistemas do edifício e por fim, que tenha coerência comercial para um relacionamento honesto e duradouro com o Cliente final. Temos os melhores sistemas para automação de utilidades como: iluminação, energia elétrica e térmica, ar condicionado, ventilação, geradores, subestações e nobreaks. Da mesma forma podemos oferecer os melhores sistemas de detecção e alarme de incêndio disponível no mercado.

Então edifício inteligente é aquele dotado de um sistema de automação?

Não, o conceito de edifício inteligente é muito mais amplo. Afirma-se que um edifício é inteligente quando é construído de tal forma que todas as suas partes cooperam, de forma harmônica, para o atendimento otimizado das necessidades de seus usuários, podendo facilmente se adaptar à dinâmica de mudanças ao longo do tempo. Ele é fruto de um bom projeto arquitetônico, e depende da excelência e da integração dos projetos de todas as suas instalações. Mas não há dúvida de que um bom sistema de automação integrado é parte essencial nos modernos edifícios inteligentes. A automação predial é necessária, porém não suficiente.

Qualquer projeto de Automação Predial exige investimentos e deve obter retorno sobre este investimento em curto prazo. Por outro lado, os investimentos também devem ser protegidos de forma que novas tecnologias e novos desenvolvimentos possam ser integrados ao sistema em qualquer momento. O planejamento deve ser orientado para as novas tecnologias, necessidades, níveis de sistemas e facilidade de utilização.

Quando surgiu a automação predial?

Há várias décadas já existe algum tipo de controle nos edifícios. Inicialmente, foram desenvolvidos controles específicos, isolados, para cada uma das utilidades instaladas. Por exemplo, os controles de temperatura dos condicionadores de ar, os controles das máquinas de refrigeração e aquecimento, e os controles dos elevadores. Também os sistemas de segurança, particularmente os de detecção e alarme de incêndio, são bastante antigos. Com o advento da microinformática, na década de 80, viabilizou-se a integração entre as diversas funções de supervisão, controle e segurança em um edifício. Os controladores específicos passaram a ser micro processados e, através de meios de comunicação de dados, foram integrados a estações centralizadas de operação e supervisão. No Brasil a automação predial ganhou força a partir do início da década de 90. Atualmente todos os novos edifícios comerciais de grande porte já são construídos com sistemas integrados de automação.

Que funções realizam os sistemas de automação predial? 

Podemos dividir as funções de um sistema de automação predial em dois grandes grupos: 

  • subsistemas de supervisão e controle das utilidades, que realizam o controle das instalações elétricas, de refrigeração e aquecimento, de instalações hidráulicas, de gás e controle dos transportes verticais;
  • subsistemas de segurança, ou seja, de proteção contra incêndio, contra intrusão e a monitoração visual centralizada;

Por que implantar sistemas de automação predial? 

Enumeramos, a seguir, os principais benefícios:

  • Conforto – é sabido que a produtividade dos trabalhadores está fortemente relacionada com seu bem estar no local de trabalho. 
  • Segurança – os sistemas eletrônicos de segurança garantem elevado padrão de proteção aos usuários do edifício, e diminuem os riscos de danos ao patrimônio e acessos indevidos a informações sigilosas. Entretanto, os sistemas eletrônicos de pouco valem sem o estabelecimento de um conjunto adequado de procedimentos e do treinamento correto das equipes de segurança e dos próprios usuários do edifício.
  • Energia – Otimização do uso das instalações de refrigeração e aquecimento, controles adequados da rede elétrica e escalonamento adequado das operações das utilidades são importantes fatores na redução do consumo e na demanda de energia. 
  • Recursos humanos – da mesma forma que na indústria, a centralização da supervisão e do comando das instalações em um único local, utilizando-se tecnologia da informação, tem o efeito de reduzir a equipe necessária para operação, segurança e manutenção. Por outro lado, é claro que os profissionais que operam em tais condições devem ter uma capacitação mais elevada, com treinamento e conhecimento mais abrangentes e boa visão do conjunto de elementos que forma o edifício.
  • Disponibilidade e vida útil das instalações – a rapidez com que as informações sobre as condições das instalações são apresentadas aos operadores permite agilizar as ações de manutenção que, por sua vez, são tornadas mais eficientes pelo uso de softwares de apoio. Dessa forma consegue-se minimizar os tempos de parada por falha e melhorar o estado de conservação dos equipamentos.

A integração possibilita que sistemas distintos trabalhem de forma conjunta e otimizada. Por exemplo, a integração do Sistema de Automação Predial ao Sistema de Detecção e Alarme de Incêndio permite que na ocorrência de um evento, os sistemas de ventilação de pressurização de escada sejam acionados automaticamente e o ar-condicionado desligado. Todos esses aspectos e características garantem que a sua planta terá mais conforto, eficiência, segurança e economia. Independente do segmento de mercado, nós oferecemos soluções sob medida.

Baseado no conceito de que cada planta é diferente e têm necessidades diferentes, nós atuamos próximos aos nossos clientes para entender as suas necessidades e requisitos e desta forma garantir que temos sistemas que atendam a estas demandas específicas.

  • Aeroportos
  • Alimentos e Bebidas
  • Edifícios Comerciais
  • Instituições Educacionais
  • Farmacêutico
  • Governamental
  • Hospitais
  • Hotéis
  • Química
  • Shopping Centers

Possuímos equipamentos e software para automação das seguintes aplicações:

  • Iluminação
  • Hidráulica
  • Elétrica
  • Ar Condicionado
  • Ventilação
  • Detecção e Alarme de Incêndio

Os sistemas podem ser divididos nas seguintes categorias:

Soluções WEB

Fornecemos soluções WEB para controle dos sistemas integrados, o que permite um atendimento rápido e eficiente. Podemos recuperar os dados e relatórios do edifício em tempo real, inclusive do controle de alarmes, mudança de set-point, execução do diagnóstico do sistema e comissionamento on-line das rotinas. Dessa forma, procuramos economia e eficiência nas soluções, já que utilizamos software seguro e intuitivo, reduzindo, assim, os custos de manutenção.

Controle de energia, iluminação, gás e consumo de água

O sistema funciona sem a necessidade de painéis caros de interface conectados por cabo, softwares customizados, redes duplicadas e controladores. A NEXT oferece a integração perfeita com a iluminação, gerenciamento de energia e sistemas de distribuição de força para aperfeiçoar o controle sobre custos de energia.

Segurança patrimonial e controle de acesso

Com amplo alcance de integração do gerenciamento do edifício e interfaces em todos os níveis de nossos sistemas, temos também poderosas soluções de segurança como: Sistemas de Circuito fechado de TV (CFTV), controle de acesso, biometria, segurança perimetral, sistemas de detecção e alarme de incêndio, combate automático de incêndio com gases inertes, todos integrados em plataforma unificada e software supervisório com acesso WEB. Com arquitetura expansível e segura, o sistema pode ser expandido conforme a necessidade do cliente.

Aplicações

  • Elevadores: amplo controle e gerenciamento do sistema de elevador, garantindo maior segurança aos usuários.
  • Ar-condicionado: gerencia através da central, todo sistema de ar-condicionado proporcionando maior conforto e economia de energia.
  • Menor consumo de energia: controle de iluminação, dimerização, controle crepuscular, sensores de utilidade para gerenciamento de energia otimizando os custos.
  • Sistema de Detecção e Combate a Incêndio: utilizando sistemas digitais endereçáveis atendendo normais nacionais, com certificações UL/FM, e aliados a detecções eficientes e sistema de combate automático a incêndio, proporcionam segurança para o empreendimento e principalmente aos usuários.
  • CFTV – Monitoramento por Imagem: com projetos personalizados ao cliente, garantimos imagens de alta definição, integrado aos sistemas de automação.
  • Controle de Acesso: controle de acesso de veículos e pessoas, com acesso por biometria, proximidade, catracas, cadastramento e reconhecimento fácil/Iris. 
A partir da década de 1990, a abertura dos mercados de informática e de telecomunicações no Brasil possibilitou a popularização de diversas tecnologias de controle e serviços de automação. Sistemas que antes eram utilizados exclusivamente nos ambientes corporativos das empresas e do comércio passaram igualmente a ser projetados e utilizados também nos ambientes domésticos. Nesse universo, a automação predial se desenvolveu tendo como objetivo principal a melhoria do estilo de vida dos ocupantes de uma edificação através do aumento do conforto ambiental, da segurança física e do aumento da eficiência energética da casa ou escritório, tornando o ambiente mais confortável, seguro e eficiente. A necessidade de maior conforto, informação e segurança não foram os únicos motivadores desse desenvolvimento. Os equipamentos eletroeletrônicos também evoluíram e passou a ser cada vez mais interessante para os fabricantes promover a integração das diversas funcionalidades de cada um. Dentro desse conceito, a automação predial englobou o controle dos diversos dispositivos de iluminação, entretenimento, segurança, telecomunicações, controles de temperatura ambiental, eletroeletrônicos, eletrodomésticos e outros.

Pequeno Histórico

Cronologicamente o desenvolvimento dos sistemas de automação predial ocorreu depois de seus similares nas áreas industrial e comercial, sendo que os primeiros sistemas de controle automatizados foram concebidos na década de 1970 para aplicações especificamente industriais. Consolidada a automação industrial, o comércio foi o próximo segmento contemplado com as tecnologias de automação na década de 1980. Foi nesse período que surgiram os primeiros prédios chamados de "prédios inteligentes", que normalmente eram voltados para o uso comercial, equipados com sistemas automatizados destinados ao atendimento dos serviços de comunicação, sistemas de ar condicionado e aquecimento, segurança patrimonial, controle de acesso, entre outros.
 
A partir da década de 1990, com as propostas de padronização apresentadas pelos organismos e grupos de padronização internacionais e também graças aos avanços nas tecnologias das redes de computadores, foram conseguidos maiores índices de integração entre as diversas topologias dos sistemas existentes. Essa integração de tecnologias representou o suporte necessário aos diversos dispositivos e acessórios envolvidos na elaboração de um projeto de automação predial completo. Com isso, os projetos que até então se destinavam apenas à telefonia ou aos sistemas de aquecimento e energia, passaram a observar os novos requisitos dos sistemas para voz, dados e imagem.

Mercado Doméstico

A realidade atual é que cada vez mais se trabalha em casa, cada vez mais o trabalho se parece com a nossa casa, ou nossas casas vão assumindo ares de escritório. As residências, como complementos dos escritórios, passaram a solicitar então uma maior demanda por serviços com maiores índices de conforto, novos sistemas de comunicação e espaço para o entretenimento. Esse novo mercado de automação representado pelos pequenos escritórios e usuários domésticos ficou conhecido como "Mercado SOHO" (Small Office & Home Office), tornando-se fato na arquitetura, no mobiliário, nas comunicações e até mesmo nos eletrodomésticos mais modernos.
 
O mercado doméstico de automação também é caracterizado por um número crescente de dispositivos e periféricos dotados ou não de algum tipo de processamento, associados a equipamentos eletrônicos e eletrodomésticos que, apesar de não ter ainda o mesmo apelo mercadológico dos sistemas de automação industriais e comerciais, tornou-se uma vitrine justamente por integrar itens sofisticados de tecnologia e demonstrar, na prática, as vantagens proporcionadas pela automação. Construtores, integradores e até mesmo os ocupantes desses novos prédios passaram a encarar a realidade da automação predial como uma parte essencial de qualquer projeto arquitetônico.

Cabeamento Predial

Até o início da década de 1990, a automação predial era associada somente aos projetos de grandes edifícios e os sistemas de cabeamento destinados à transmissão de voz, dados e imagem, utilizavam estruturas proprietárias, sendo que os projetos de automação eram executados de forma independente, não existindo, portanto, um padrão comum para ser seguidos por construtores, fabricantes de equipamentos e integradores.
 
Atualmente, muitas das tecnologias desenvolvidas para automação predial já estão incorporadas de fato aos novos projetos e essa demanda do mercado doméstico gerou a necessidade de uma infraestrutura de cabeamento capaz de suportar as atuais e novas aplicações das telecomunicações e de controle predial, devendo ser capazes de permitir o funcionamento adequado de todos os sistemas em operação.
 
O fato é que para a implantação de um projeto que atenda aos requisitos destes sistemas, é necessário um planejamento prévio e que a execução do projeto seja feita por pessoal técnico especializado. Da mesma forma, é crucial o emprego de mão-de-obra qualificada para a instalação e o teste de todos os dispositivos envolvidos. Um projeto de automação predial deve prever uma estrutura capaz de suportar todos os tipos de dispositivos de automação eletroeletrônicos (sensores, atuadores, etc.), equipamentos para voz, imagens e dados. Também deve incluir igualmente todos os serviços adicionais possíveis ao nível de automação para o bem estar dos ocupantes da edificação.
 
Com essa finalidade, os projetos passaram a adotar uma infraestrutura baseada em normas e técnicas de cabeamento estruturado, o que possibilitou um sistema com conectividade universal, capaz de atender ao crescimento das exigências e novos serviços de seus ocupantes, possibilitando ainda a atualização tecnológica dos dispositivos constituintes. As diversas normas técnicas, utilizadas em conjunto, passaram a estabelecer um padrão para a instalação dos sistemas de cabeamento visando assegurar a uniformidade e interoperabilidade dos diversos dispositivos e acessórios, garantindo um desempenho mínimo para o sistema de automação como um todo.

Automação Residencial

A Automação Residencial tem a finalidade de minimizar a intervenção do homem nas rotinas da vida contemporânea, tornando a vida no lar mais prática, segura e confortável, sem deixar de lado o aspecto pessoal e familiar necessário a um agradável ambiente. Entre estas rotinas encontra-se, por exemplo, a operação de sistemas como segurança, iluminação, controle térmico e entretenimento.
 
Dentro do conceito de Automação Residencial, três são os graus de integração destes sistemas:
 
  • Sistemas Autônomos - são sistemas independentes e não há a interligação entre os dispositivos;
  • Sistemas Integrados - todos os sistemas estão integrados a um controlador (central de automação);
  • Sistemas Complexos - princípio de funcionamento da casa inteligente, onde o sistema pode ser personalizado de acordo com a vontade do usuário;
A Automação Residencial é um mercado em crescente expansão. A Associação Brasileira de Automação Residencial (Aureside) estima que no Brasil, nos próximos 5 anos, cerca de 40% das residências de médio e alto padrão apresentarão algum sistema de automação.

Conclusão

A automação predial passou a ser sinônimo para integração e uma tendência mundial na medida em que racionaliza o uso da energia, além de proporcionar conforto e segurança para os ocupantes de uma edificação. Trata-se de um mercado em crescente expansão e com um potencial bastante expressivo, onde existem inúmeras aplicações e produtos para facilitar as atividades do dia-a-dia visando trazer mais conforto para seus usuários.
 
Da função mais simples a mais complexa existe um ou mais sistemas de automação que permitem que cada ponto de uma residência seja controlado de modo inteligente, tanto individualmente quanto em conjunto com o restante do sistema. Por esse motivo as aplicações de automação predial permitem um projeto arquitetônico moderno, à frente daqueles que desconsideram as exigências do mundo moderno, como conforto, praticidade e segurança.
 
 
 
 
 
 
 
Engenheiro Luiz Fernando Neves

 

 

 

 

Tele Atendimento

 

 

 

(11) 


( 21)

 

 

 4156-6090 Pabx


  98250-6019 Whatsapp e Vendas